A gente sempre ouve falar que as ervas e especiarias possuem propriedades medicinais ou terapêuticas que a tornam indicadas para a prevenção ou o tratamento de determinados problemas de saúde. E de fato muitas das chamadas "crendices" populares têm algum embasamento científico que pode ser comprovado inclusive por pesquisas.

É o caso de um estudo realizado em 2016 pela Universidade de Saint Louis, nos Estados Unidos, que descobriu que os antioxidantes encontrados na hortelã e no alecrim podem potencializar a memória e até melhorar a capacidade de aprendizado.

Outra pesquisa, esta conduzida pela Universidade de Northumbria, na Inglaterra, também atribuiu ao consumo do chá de hortelã a uma melhora na memória de longo prazo. Já o aroma de alecrim foi associado a uma melhor memória prospectiva (lembrar de realizar uma ação pretendida).

Além de ficar ótima no chá, a hortelã pode ser consumida também na salada, na sopa, como tempero do frango, carne vermelha ou peixe, na água aromatizada ou ainda batida com suco de frutas como abacaxi ou morango, por exemplo.

O alecrim, por sua vez, pode ser ingerido "in natura" como tempero de carnes suínas, peixes e frango, assim como em sopas, molhos à base de tomate ou para aromatizar o azeite de oliva. Também dá para usar as folhas do alecrim para preparar um delicioso chá.