Você sabia que os primeiros registros do cultivo do milho datam de pelo menos 7.300 anos atrás, quando ele foi encontrado em pequenas ilhas próximas ao litoral do México? Seu nome, de origem indígena caribenha, significa “sustento da vida" - e de fato, durante séculos, o milho foi a alimentação básica de várias civilizações, como mais, astecas e incas. 

Ainda hoje é considerado um dos alimentos mais nutritivos do mundo, pois contém praticamente todos os aminoácidos. Além de possuir proteínas, vitaminas A e do complexo B, ferro, potássio, fósforo e cálcio, é excelente fonte de fibras, favorecendo, assim, o funcionamento intestinal. 

Outra curiosidade é que, quando fresco, o milho é considerado legume e empregado como ingrediente de diversos pratos, como curau, pamonha, cuscuz, mingau, canjica, pães e bolos. Já quando seus grãos são secos, ele passa a ser classificado como cereal, sendo encontrado no fubá, em sua própria farinha e em óleos, xaropes e bebidas.

E fica aqui uma dica para quem gosta de consumir o milho puro, cozido, na espiga mesmo: em sua próxima compra no Kinjo, procure pelo milho-doce - que alguns chamam de “milho na espiga" - e que contêm mais açúcares que outros tipos de milho.

Só lembrando que como o milho-doce é quase todo feito de amido macio ele nunca vai estourar para virar pipoca. Também não deve ser usado para fazer curau, pamonha e bolo, por exemplo, porque seu baixo teor de amido não proporciona a liga necessária.