nabo kinjoyamatoPertencente à família Brassicaceae, da qual também fazem parte a mostarda, o repolho e a couve, o nabo teria surgido há mais de 2 mil anos na Eurásia, tendo começado a ser cultivado no Brasil só mais recentemente, claro, pelos colonizadores portugueses.

Por aqui, as variedades mais comuns são as de casca e polpa brancas como o nabo comprido (também chamado de daikon ou nabo japonês) e o nabo francês, que é a versão menor e mais arredondada.

Do ponto de vista nutricional, ambos são ricos em vitamina C, fibras e sais minerais como potássio, sódio, cálcio e fósforo. Por ser pouco calórico (100 gramas têm apenas cerca de 30 calorias), o nabo também é muito utilizado em dietas de restrições calóricas. É ainda diurético, expectorante, alcalinizante e possui um leve efeito laxativo.

Você pode consumi-lo de diversas formas: fica ótimo cru, ralado na salada ou cortado em rodelas finas, quando mantém seu sabor característico, que é ligeiramente picante. Já em preparações em que seja cozido ou refogado, seu sabor fica mais suave e adocicado. 

Vale lembrar que as folhas do nabo também são comestíveis, tendo sabor semelhante às da mostarda. Além de serem uma excelente fonte de beta-caroteno (vitamina A), elas possuem uma substância chamada luteína, um poderoso antioxidante. Portanto, não as desperdice!