figo

Tem coisa mais tradicional no mês de junho que as festas que homenageiam quatro conhecidos santos católicos: Santo Antônio (no dia 13), São João (dia 24) e São Pedro e São Paulo (dia 29)? No entanto, o que muita gente não sabe, é que a origem das comemorações nessa época do ano é anterior, inclusive, à era cristã.

No Hemisfério Norte, várias celebrações pagãs aconteciam em junho durante o solstício de verão, data astronômica que marca o dia mais longo e a noite mais curta do ano. Diversos povos da Antiguidade, como os celtas e os egípcios, aproveitavam a ocasião para organizar rituais em que pediam fartura nas colheitas.

Mas e por aqui? Segundo historiadores, os povos indígenas que habitavam o Brasil também realizavam durante o mês de junho várias celebrações ligadas à agricultura, com cantos, danças e muita comida. Com a chegada dos jesuítas portugueses, o caráter religioso dos festejos juninos se fundiu aos costumes indígenas, dando início às festas juninas como conhecemos hoje, que celebram os santos católicos e ao mesmo tempo oferecem diversos pratos feitos com alimentos típicos dos nativos.

Aqui no Kinjo Yamato você encontra à venda ingredientes para preparar boa parte dos comes e bebes que não podem faltar em um bom arraial. É o caso do milho, por exemplo, que pode ser usado no preparo de pamonha, canjica, cuscuz, bolo de milho e, claro, pipoca! Pinhão, gengibre, abóbora, maçã, amendoim e especiarias também são bastante empregados em receitas tipicamente juninas.