figo

Originário da Ásia Menor e abundante em todo o Oriente Médio e no Mediterrâneo, o figo possui boa adaptação a diferentes condições climáticas, desenvolvendo-se bem até mesmo no árido Nordeste brasileiro, onde há frutos graúdos e doces.

Os estados de Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Santa Catarina também são tradicionais produtores de figo, mas é na região de Valinhos, no interior de São Paulo, que está concentrada a maior parte da produção nacional.

Por aqui o figo é tradicionalmente consumido "in natura" ou em preparações doces, mas também confere um toque especial a diversos pratos salgados. Pode ser usado, por exemplo, para incrementar saladas verdes ou risotos, no recheio de carnes (em especial as de porco ou peru) e no preparo de deliciosos chutneys ou molhos.

Do ponto de vista nutricional, é uma excelente fonte de fibras que ajudam a regular a função intestinal e aumentar a sensação de saciedade. Além de ser rico em potássio, possui boa quantidade de cálcio, magnésio e ferro e quantidades razoáveis de vitamina B6 e folato.

Uma curiosidade sobre o figo é que na verdade ele não é um fruto, e sim uma flor invertida. Como as flores do figo se abrem internamente, elas precisam de um processo especial para ser polinizadas, realizado pela vespa-do-figo. Ficou interessado em saber mais sobre processo? Então clique aqui para ler uma matéria no portal HuffPost Brasil que explica em detalhes como isso acontece.